Alimentação 

Comportamento e desempenho escolar são duas das grandes preocupações dos pais de crianças em idade escolar. Muito se tem estudado e falado sobre a importância de uma boa alimentação para permitir o melhor desempenho possível e também se sabe que a alimentação pode influenciar negativamente no comportamento, na atenção e nas capacidades cognitivas.

Cada vez mais as crianças apresentam uma sensibilidade acrescida face a produtos alimentares, dado que muitos deles estão expostos a toxinas e outros químicos pouco próprios para o organismo da criança (daí a importância de optar por alimentos biológicos).

Costuma insistir para que o seu filho coma tudo o que tem no prato? Obriga-o a comer quando ele diz que já não tem fome? Se o faz, pode estar a cometer um erro, pois o apetite da criança deve ser respeitado. Forçar o seu filho a comer mais do que lhe apetece pode conduzir a maus hábitos alimentares e...

Investigadores de várias universidades dos Estados Unidos concluíram que os bebés que comiam um ovo por dia a partir dos seis meses de idade e pelo menos até ao primeiro aniversário registavam concentrações elevadas de nutrientes que ajudam ao desenvolvimento e ao bom funcionamento de cérebro.

Usar apenas alimentos naturais ainda intimida a maioria dos progenitores. Porém, além de serem muito fáceis de confecionar, são também estas refeições saudáveis as melhores que podemos dar aos nossos filhos.

Antes de nos tornarmos pais era muito fácil fazer julgamentos sobre as formas de educar de outras famílias e apontar aquilo que nós faríamos de forma diferente. Limitar a televisão, não dormir na cama dos pais e, claro, a alimentação que daríamos aos nossos filhos.

É a Organização Mundial da Saúde que o diz: fruta e verduras são parte integrante de uma alimentação saudável e os miúdos não podem - nem devem - ter como escapar a esta regra de bem comer. Pais: se os vossos filhos são um castigo à mesa, façam assim.