Um alerta importante dos pediatras: não deixe os seus filhos pularem em camas elásticas!

17-11-2018

Um dos brinquedos mais apreciados pelas crianças é a cama elástica ou como é popularmente conhecido pula-pula, isso porque ao pular a criança experimenta uma grande sensação de liberdade.

Mas apesar de parecer um brinquedo inofensivo, o equipamento traz vários riscos de ocorrer uma lesão muscular, uma entorse até mesmo uma fratura.

Um dado muito preocupante foi divulgado pela Academia Americana de Pediatria, publicado na edição de outubro do jornal científico Pediatrics, 75% dos acidentes que ocorrem no pula-pula, acontecem quando várias crianças estão no brinquedo pulando ao mesmo tempo, e no geral é o que mais vemos em festinhas de crianças e parques.

No documento, os especialistas constataram que as fraturas ocorrem principalmente em braços, pernas, punhos e cotovelos. Uma lesão que é menos recorrente porém quando acontece é considerada uma das mais graves são as faciais, geralmente ocorrem quando uma criança cai por cima da outra.

Esse relatório foi retirado do Sistema Eletrônico Nacional de Vigilância de Lesões (NEISS, em inglês), que mostrou que 98 mil pessoas se machucaram em camas elásticas só em 2009, sendo que 70 mil eram crianças, de 0 a 14 anos.

Você sabia que a cama elástica não é considerada um brinquedo?

Synésio Batista da Costa presidente do Comitê Brasileiro de Brinquedos da (ABNT), afirma que a Cama elástica não é classificado como um brinquedo, mas sim uma atividade física o que o torna algo inadequado para as crianças.

Embora exista uma recomendação feita pela Academia Americana de Pediatria, que não recomenda a atividade para crianças, os especialistas ponderam que não é preciso proibir, apenas orientar e supervisionar. "Qualquer tipo de atividade física pode gerar lesão. O futebol é a atividade que mais provoca machucados, por exemplo. A criança está sempre exposta ao risco", afirma Simão. Além disso, diz, a cama elástica exercita o equilíbrio, fortalece a musculatura e treina a coordenação, sem contar que é uma brincadeira que as crianças adoram. Assim, se você decidir deixar seu filho participar, fique sempre de olho para minimizar as chances de acidentes.

Dicas para tornar um pula-pula mais seguro

É quase impossível dizer "não" para uma criança quando ela quer brincar em um pula-pula! Por isso a pediatra Dra. Paula Arruda, da Santa Casa dá algumas dicas de cuidados a serem tomados para evitar acidentes.


Algumas instruções:

-Averiguar se a cama elástica possui os entornos acolchoados;
-Averiguar se a cama elástica tem proteção lateral
-Averiguar se não existem vãos que facilitem uma queda
-Averiguar se todas as molas estão devidamente encapadas
-O ideal é que cada criança brinque individualmente como já citamos, porém sabemos que em uma festinha ou parque isso é quase impossível. 

Recomendamos que brinque no máximo três crianças com a mesma faixa etária.

Fonte: sabervivermais.com