Porque "desenvencilhar-se" faz parte da vida e do crescimento...


Porque aprender a ser "desenvencilhado" é importante!

1. Acredita que é necessário os pais conversarem com os filhos sobre situações limite e o que devem fazer? Seja perderem-se no supermercado, serem abordados por estranhos ou verem o pai/mãe sentir-se mal e sabe o que fazer...

Acredito que é importante à medida que as crianças vão crescendo e estando em diversos contextos, ir dando-lhes a conhecer as realidades em que estão, suas características, ajudando a antecipar situações e o que elas envolvem, ajustando ao nível de desenvolvimento da criança e sempre com alguma tranquilidade. O objectivo é ajudá-las a agir e não a bloqueá-las.

2. É saudável para as crianças pensar no que pode acontecer ou por outro lado pode causar ansiedade?

Depende da forma como for feito, conversado e apresentado. Se uma criança está numa fase normativa de medo excessivo de se perder dos pais pode ser extremamente ansiogénico acrescentar novos dados e informações sobre a possibilidade de se perder. No entanto, nunca falar nem prevenir, nem a informar nem capacitar pode comprometer de certa forma a sua autonomia, a sua capacidade de sentir que tem controlo, a capacidade de resolução de problemas e é capaz em situações mais difíceis. Por vezes, aproveitar as situações do dia-a-dia e de forma tranquila e sem catastrofizar é uma excelente forma de ir conversando sobre perigos.