Pais: É importante relaxar às refeições!

01-05-2018

Sei que por vezes não é fácil sentar o seu filho à mesa na hora das refeições. O cansaço do dia-a-dia pode mesmo contribuir para tornar as refeições num verdadeiro «campo de batalha», onde o seu filho se recusa a comer e onde a palavra de ordem é o «não gosto».

Então como lidar com esta situação? É a pergunta que tantos pais se questionam.

E a resposta é tão simples e passa por RELAXAR às refeições. Sim! Cabe-lhe a si, enquanto pai e educador, agir com naturalidade, de forma, a não transmitir ansiedade para o seu filho. Há comportamentos nossos que não ajudam em nada a relação que os nossos filhos têm com a comida. A alimentação tem e deve de ser algo natural.

É importante o sentar à mesa às refeições, sem televisões, tablets ou telemóveis. O desfrutar e saborear da refeição e da companhia, de forma, a fortalecer os laços entre pais e filhos.

Os mais pequenos, entre os seis meses e 12 meses e meio, devem sujar-se. Deixe o seu filho explorar os alimentos, cores, texturas e paladares. Sujar-se faz parte do desenvolvimento infantil.

Ao iniciar a introdução alimentar complementar, bem sei que existe a tendência de se introduzir os alimentos todos em forma de puré, mas espante-se, pois os bebés também sabem comer. Hoje em dia fala-se muito no conceito de Baby Led Weaning, que passa por o bebé explorar os próprios alimentos comendo pela sua própria mão.

Esta técnica, no entanto, não deve ser iniciada sem falar primeiro com o seu pediatra e sem recurso a workshops práticos ou bibliografia sobre o assunto.

É importante ter e respeitar os horários das refeições, para evitar que o seu filho «petisque» fora de horas ou que fique rabugento de sono.

Muitos pais nas sessões de aconselhamento parental se queixam, dizendo: «O meu filho não come nada». A realidade é que depois ao analisarmos um dia alimentar completo, vemos que come e muito, mas nem sempre os alimentos mais saudáveis.

Dê o exemplo, as crianças aprendem por imitação e modelagem, logo se os pais fizerem uma alimentação saudável também eles demonstraram mais interesse por certos e determinados alimentos.

É igualmente importante explicar ao seu filho que a alimentação é importante para ele crescer forte e saudável. Para os mais velhos, entre os dois e os cinco anos, pode usar como referência um boneco ou super-herói que ele goste e explicar-lhe que também se alimentou.

Não force o seu filho a comer e evite castigos relacionados com a comida, contudo não desista ao primeiro «não».

Fonte: crescercontigo.pt