Medo de falhar - o novo bicho papão

08-05-2018

Como psicomotricista nada me dá mais força para ajudar as minhas crianças do que as ouvir dizer "mas eu não vou conseguir". Arregaço ainda mais as mangas perante este medo de falhar e digo-lhes sempre com um sorriso enorme:" Tu consegues tudo! E eu estou aqui para te ajudar!"... eventualmente, no seu tempo, são surpreendidas consigo mesmas

Em crianças todos tínhamos os típicos medos de criança: medo do escuro, medo do bicho papão que dormia dentro do armário, medo das alturas ou das pessoas estranhas mas, hoje em dia, as crianças têm um novo e temeroso medo: o medo de falhar, o medo de não conseguir.

Como seres tão pequenos e traquinas, podem ter medo de falhar?

Pois bem, existem vários impulsionadores deste medo de falhar nas crianças: o desejo de serem perfeitas para terem o máximo de atenção possível (que, por vezes, é pouca pela correria em que vivemos), a ideia errada de que o sucesso é fácil de atingir ou até a competição que existe entre crianças fruto do reflexo da competição entre os adultos...

Agora, perguntam vocês: mas como posso ajudar a minha criança a não ter medo de falhar?

Ora aqui estão umas dicas para vocês

  • Incentivem-na a participar em atividades que vai gostar e ter sucesso: assim, poderão ser surpreendidas pelo sucesso fruto do seu próprio esforço, aumentando-lhes a autoconfiança!
  • Lembrem-lhe que não há nada de mal com o errar e que o importante é saber ver onde errou e voltar a repetir. Como vi na série Atypical "Ficamos bons nas coisas quando as repetimos"
  • Contem histórias reais da vossa infância em que também falharam e em que mesmo assim conseguiram dar a volta à situação. Por exemplo, como aprenderam a andar de patins em miúdos (vá lá, sejam sinceros, todos caímos nas primeiras tentativas na verdade!) ou de bicicleta...
  • Lembrem sempre a criança não há nada de mal em pedir ajuda, antes pelo contrário!
  • Elogiem-na nas mais pequenas coisas com frases simples como "gosto sempre de ti", "adoro estar contigo", "és tão divertido", "adoro quando desenhas"...mostrem-lhe que gostam dela pela pessoa que é e independentemente das boas notas ou de ter marcado golos no jogo de futebol!

Agora, só espero que agarrem nas "armas" que partilhei convosco e ajudem as vossas crianças na sua luta contra o seu novo bicho papão!

Autoria: Beatriz Pereira | Blog Mais q' Especial