Dolce Vita Tejo muda de nome e torna-se um shopping resort

17-01-2019

O Dolce Vita Tejo vai mudar de nome para UBBO. O centro comprado pela AXA Investment Managers no início do ano passado começou, em 2015, um processo de reformulação para um novo conceito: shopping resort. Com algumas alterações já visíveis, concretamente na praça de restauração, e outras a caminho, o Dolce Vita Tejo decidiu mudar de nome e de imagem. 

"A UBBO é uma marca que tem na sua génese uma mensagem muito direta nesta nova realidade do shopping. Os fenícios chamaram a Lisboa 'Allis Ubbo' que significava 'porto encantador'. O porto foi o local de nascimento da cidade e era palco de diversas animações e atividades, um espaço onde se ia quebrar as rotinas. É uma palavra com fonética simples e fácil, quase infantil, o que sugere o desejo incontrolável de diversão", explica a marca.

A nova marca e imagem foi criada pela Totem Branding. Andy Stalman, CEO da Totem, explica, por sua vez, que "mais do que uma marca, UBBO é uma sensação que só se explica depois de se vivenciar o novo espaço. Uma nova identidade global que reflete os valores e as características de um shopping resort - a vontade de ficar num lugar que nos oferece lazer, shopping, entretenimento e gastronomia".

O processo de mudança de nome e imagem do espaço estará concluído na primavera de 2019. 

O projeto de intervenção na praça central

A mudança do conceito para shopping resort será mais visível na praça central. O projeto arquitetónico e paisagístico, da arquiteta Teresa Sapey, prevê a construção de um centro de boas vindas, onde um concierge vai apoiar os visitantes, um parque infantil temático da Nickelodeon, novas áreas de descanso, terraços e cafés. A praça central vai contar ainda com uma comunidade urbana, designada "The Hood", que irá realizar atividades, eventos, mercados e apoiará artistas emergentes. "A praça irá ainda reunir um parque aquático, um mini-golfe e paredes de escalada", explica a marca que prevê que a obra esteja concluída no Natal 2019.

No ano passado, os principais indicadores do shopping já denotam os resultados das mudanças em curso. Em relação a 2017, o tráfego cresceu 1,8% e as vendas subiram 6,4%.

"2019 será o ano de afirmação do centro como um pólo regional de comércio, entretenimento e serviços, um espaço que reúne emoções e experiências e que responde às novas exigências dos consumidores, juntando, à experiência de compra, lazer, cultura e atividades ao ar livre", afirma Ian Sandford, presidente do Eurofund Capital Partners, que se mantém com gestor de desenvolvimento do shopping até o programa de reposicionamento estar concluído.