Creche, avós ou ama?

09-05-2018

A decisão nunca é fácil e as ideias preconcebidas podem dificultar (ainda mais) essa opção. Uma especialista ajuda a desmistificar alguns dos preconceitos que o podem condicionar.

É uma decisão crucial para o desenvolvimento físico, psicológico e social da criança. Cada caso é um caso e, em termos abstratos, não há uma opção melhor que outra, defende Rita Castanheira Alves, psicóloga infanto-juvenil e de aconselhamento parental. Mas há que ter em conta «as características da criança, nomeadamente, o seu desenvolvimento, eventuais problemas ou maiores dificuldades e história precoce», defende.

As variáveis desta escolha são muitas. É essencial os pais terem «um conhecimento aprofundado e confiança no adulto ou equipa com quem fica a criança, características do local, das rotinas, regras e atividades propostas», acrescenta. Contudo, seja qual for a sua decisão, o objetivo principal desta nova fase é que a criança desenvolva todas as capacidades importantes para uma boa adaptação nas aprendizagens escolares formais.

Autoria: Rita Castanheira Alves - Psicóloga dos Miúdos

Fonte: lifestyle.sapo.pt [artigo completo]