Como organizar uma mochila em período escolar?


As mochilas das crianças no período da escola, entre os seis e os 10 anos, são sempre umas das preocupações dos pais no início do ano escolar, assim como a lista de material a incluir dentro delas. Mas é no seu conteúdo diário que deve residir a atenção dos pais, como o primeiro passo para dias tranquilos dentro da sala de aula.

Não vamos falar da forma das mochilas, nem do valor de 10 por cento do peso da criança que a mochila não deve exceder, mas sim de tudo o que entra e sai da mochila de um pequeno aprendiz.

Muitas são as crianças que se revelam verdadeiros coletores e colecionadores de pedras, bolotas, folhas, pauzinhos e desenhos tantos que acabam por ir parar ao fundo da mochila. Entre eles aparecem também os lápis que ficaram esquecidos em cima da mesa e que acabam por saltar lá para dentro, mais uns quantos pedaços de borrachas e outras tantas coisas que nem se percebem bem o que são.

É por isto essencial que, pelo menos uma vez por semana, a mochila seja despejada e verificada. Mas é importante não cair na tentação de serem os próprios pais a fazê-lo. A autonomia treina-se e a responsabilidade adquire-se nestas pequenas tarefas. É claro que um adulto demora cinco minutos a fazê-lo e uma criança o dobro ou o triplo do tempo. Mas a importância de organizar os seus próprios pertences não deve ser desvalorizada.

Como organizar a mochila da escola?

  • Os pais devem dedicar um momento do fim de semana à organização da mochila. Com pequenas instruções, a criança deve retirar tudo e voltar a colocar apenas o necessário, sob o olhar dos pais.
  • Aproveitem para ouvir como alguns dos objetos perdidos pelo fundo da mochila foram lá parar e estarão a treinar o discurso oral, a organização de ideias sobre um acontecimento e a capacidade de contar uma história, competências essenciais no desenvolvimento de uma criança e que muito irão contribuir para a disciplina de Português.
  • Desta missão faz igualmente parte a verificação da existência do material do estojo. Há uma magia que nenhum pai ou professor consegue explicar e que faz desaparecer inúmeros lápis, borrachas, réguas e afias. Além da velocidade ultra-sónica a que os lápis encurtam quando ainda não se tem uma década de vida. A tranquilidade numa sala de aula, para o grupo e para a própria criança, passam por ter o material de que cada um necessita no início de cada dia. Assim, semanalmente devem ser repostos os stocks de lápis e borrachas.

Um bom conselho para esta fatalidade é identificar cada lápis na extremidade com o nome da criança e comprar, no início do ano letivo, uma boa remessa destes materiais de desgaste. Dá trabalho e é um investimento, mas compensa ter material para repor semanalmente sem uma corrida à papelaria mais próxima.

Seguindo estas dicas, a criança sentirá mais confiança pois conhece o que está na sua mochila e sabe que tem tudo o que precisa, não irá atrasar-se nas tarefas por precisar de esperar um empréstimo ou por ter vergonha de pedir algo que devia ter, será evitado um factor de distração como são os pedidos de empréstimos frequentes e, assim, as primeiras linhas para o sucesso estão traçadas.

Texto: Diana Moreno, professora de 1.º ciclo