Circuncisão: Todas as respostas às perguntas dos adolescentes!


A circuncisão é, muitas vezes, uma preocupação para os adolescentes. Como tal, o site Crescer conversou com o pediatra Sérgio Neves - que tem como área de diferenciação a medicina do adolescente - e o especialista respondeu a algumas questões colocadas pelos jovens.

Fique atento às respostas do Dr. e mostre-as ao seu filho, para que ele possa esclarecer todas as dúvidas que tenha em relação a este assunto.

Tenho mesmo de fazer a circuncisão?

A circuncisão não é obrigatória! Pode ser considerada em várias situações: dor ao retrair o prepúcio (pele que cobre a parte terminal do pénis), quando é difícil voltar a cobrir a glande depois de o retraíres (risco de parafimose que é uma emergência), se «arde» sempre que urinas ou se tens infeções frequentes do pénis.

Como é a cirurgia?

Este procedimento é geralmente simples e com anestesia local. Voltas rapidamente para casa. Existem diferentes técnicas mas basicamente resume-se a remover o «excesso da pele» na circunferência da «parte da frente» do pénis. Depois terás de ir regularmente ao médico para vigiar a cicatrização e descartar complicações.

Quais são os riscos?

Todas as cirurgias podem ter algumas complicações. O cirurgião escolherá a técnica que será mais adequada para ti. Para evitar infeções e hemorragias deves cumprir todas as recomendações de higiene, mudança dos pensos no tempo certo, evitar banhos de rio/mar, e não teres relações sexuais/masturbação. O resultado da cicatrização é individual, mas só raramente os homens ficam insatisfeitos com o aspeto estético final.

O prazer que vou sentir é maior ou menor após a cirurgia?

Essa questão é individual. A maioria das pessoas circuncisadas não refere diminuição da libido ou da satisfação sexual, contudo, a glande após circuncisão modifica a sua superfície para mais «espessa» pois fica mais exposta ao contacto físico do exterior. Este facto não é suficiente para diminuir a satisfação sexual própria ou do parceiro(a).

Vou sentir dor depois da cirurgia?

Esta é uma pequena cirurgia que geralmente é feita com anestesia local. Nos dias seguintes pode ser desconfortável (na higiene, na micção e/ou nas ereções). Terás de ter um período médio de quatro a seis semanas sem teres masturbação ou atividade sexual com parceira(o) para que a cicatrização fique «bem-feita».

Depois da cirurgia pode existir impotência sexual?

A parte que é retirada do pénis é apenas a «pele» que envolve a parte terminal do pénis (o prepúcio), não são cortados os «terminais nervosos» que permitem a ereção ou a sensibilidade/prazer.

Depois não preciso de usar preservativo?

O fato de o pénis circuncisado ter uma superfície «mais grossa» poderá ser um pouco mais resistente à penetração por alguns patogénicos, mas o risco mantém-se! Continua a haver sífilis, gonorreia, infeções por clamídia...deves sempre proteger-te (e ao outro(a)).

Que cuidados devo ter se não fizer a circuncisão?

O problema mais grave é a parafimose. Esta situação surge quando o a «pele» do prepúcio retrai até ao final da glande mas depois fica presa, como se fosse um cinto apertado, a glande começa a ficar «inchada» e isso compromete a circulação. Tens de ir imediatamente ao hospital! Mas o mais frequente é sentires dor ou desconforto na tua higiene e nas relações sexuais, acumular mais secreções no prepúcio (esmegma) e assim poderes ter infeções (balanopostite). Mas muitos homens e adolescentes não sentem qualquer diferença ou incómodo.