Calvin Esparguete, Diário de um Gato Citadino

09-07-2018

Calvin é um gato cinzento, gordo, de olhos esverdeados e ar sério e maldisposto ou ternurento e simpático, consoante esteja ou não com fome e queira ou não que lhe abram a porta para ir à rua. 

Tem uma história que contada ninguém acredita. Mora numa colina de Santana, que fica do lado esquerdo da Avenida da Liberdade, perto da Baixa. 

Tem na coleira o número de telefone dos donos que, graças aos telefonemas dos novos amigos que vai fazendo, sabem sempre onde é que ele anda. Ou quase sempre. Já ficou meses fora de casa, perdeu-se nos subúrbios e tiveram de o ir buscar a Santo António dos Cavaleiros ( o que para um gato é o mesmo que viajar até à China), passeou-se pelo Metro, foi estrela na Net e fez amigos entre os turistas.

Um estudante de Eramus achou que era um gato vadio e fez dele a sua companhia nos seis meses que viveu em Lisboa. E ainda hoje pergunta por ele. Mas os médicos da morgue de um conhecido hospital da zona já nem estranham a sua presença. Alimentam-no, deixam-no dormir e, depois, telefonam aos donos para o irem buscar.

Calvin Esparguete, Diário de um Gato Citadino é a história das suas aventuras pela cidade, contada como só ele o poderia fazer. Não pense que tudo isto é produto da imaginação delirante da dona, a jornalista Filomena Lança, porque se trata de uma história real, com fotos e vídeos para provar. Só Hollywood é que ainda não reparou nele, mas Calvin já se porta como uma verdadeira "estrela".

Editor: Dom Quixote

Dimensões: 155 x 233 x 17 mm

Encadernação: Capa mole

Páginas: 248