Avós e Netos: Será Esta Uma Relação Intemporal e Incondicional?


Numa sociedade em que o conceito de família sofre constantes alterações e evoluções, estará também comprometido o papel dos avós?

Ser avô é...

  • transmitir valores importantes;
  • ajudar nos trabalhos de casa;
  • marcar presença nas festas da escola
  • despertar e estimular a curiosidade pelo mundo
  • partilhar e brincar, dar a conhecer os jogos tradicionais, encontrando alternativas igualmente divertidas que substituam as consolas e televisões.

O papel dos avós, na vida dos netos, é de extrema importância pois estes pilares familiares representam uma fonte inesgotável de estórias, anedotas, saberes culturais e tradicionais que impulsionam o desenvolvimento social e intelectual das crianças.

Além disso, os avós representam uma forma especial de amor, diferente da dos pais.

Quase sempre, na vida adulta, nas memórias que são trazidas pelas conversas entre familiares e amigos, estão presentes estas figuras estruturantes das famílias: os avós.

O mais nobre da relação dos avós com os netos, para além de cuidarem deles na ausência dos pais, é a partilha de valores, conhecimento e saberes culturais e tradicionais que contribuem positivamente para o desenvolvimento saudável das crianças.

O tempo é, para os avós, ouro com horas, minutos e segundos! Então, encontram sempre o tempo que os pais não conseguem, pelas exigências atuais (e talvez de sempre!) da sociedade que já não tem tempo.

São os avós os grandes pilares das famílias que, apesar de não substituirem as instituições de ensino, ajudam os pais na difícil tarefa de educar e partilham momentos de lazer com os netos que, muitas vezes os pais não podem ou não querem, e acima de tudo têm uma sincera disponibilidade para ouvir.

Os avós querem e gostam de estar ativos, principalmente na vida dos netos.

Contudo, fruto da dinâmica social atual, em que os pais não têm o tempo desejado para vivências mais divertidas e prazerosas, os avós podem, por vezes, ser mais permissivos, colocando em causa as regras estabelecidas em casa. E desta forma, a influência positiva dos avós pode, muitas vezes ficar comprometida.

Por isso avós, os mimos são sempre bem vindos e são imprescindíveis no desenvolvimento saudável das crianças mas devem ser sempre com "conta, peso e medida". Os mimos devem ser considerados como manifestações de afeto e transmitir segurança e estímulo para a auto-estima da criança e não passar a ideia de que o amor e o bem-estar dependem apenas da realização plena dos seus desejos e vontades.

Mimos e regras à parte... o reforço dos laços entre os mais velhos e os mais novos é uma realidade do século XXI e, se para os netos esta é uma relação valiosa, o mesmo se pode dizer para os avós que, ao terem a responsabilidade de cuidar de uma criança se sentem valorizados socialmente.

Obrigada avô, obrigada avó, obrigada a todos os avós pelos sentimentos intemporais e incondicionais.

No livro "O Papel dos Avós Na Vida dos Netos", de Pedro Strech, os netos definem os avós numa só palavra: "queridos"!

E para si, qual a palavra que melhor define os seus avós?