A verdade sobre a desatenção das crianças na escola


Por detrás da hiperatividade está muitas vezes a desatenção. E é desta que é preciso cuidar.

Não estamos sempre a ver a mesma coisa quando olhamos para comportamentos hiperativos. Por detrás da hiperatividade está muitas vezes a desatenção. E é esta que é preciso cuidar.

Se não pára quieto, como pode estar atento?» Esta é a queixa frequente de professores e pais ao fim do dia ou à volta dos trabalhos para casa.

Mas o universo de perguntas não respondidas é muito maior: por que razão é tão atenta ou atento para as coisas que lhe interessam e tão pouco ou nada para outras? E por que razão tem «brancas» nos testes, quando tudo sabia na véspera? E por que é tão difícil memorizar, embora se lembre de coisas que já ninguém recorda? E por que é que nem as coisas de que gosta consegue levar até ao fim? E por que é tão fácil fazer amizades e tão difícil mantê-las? E por que salta sempre de uma coisa para a outra?

8 ideias erradas sobre o défice de atenção

  1. Se tem bons resultados na avaliação oral também tem de ter nos testes escritos.
  2. A medicação cria habituação, dependência e tolerância. Há dietas com suplementos que fazem o mesmo efeito.
  3. Se sabia as coisas na véspera mas não no teste é porque «bloqueia».
  4. A falta de regras em casa não está na base de comportamentos irrequietos na escola.
  5. Se está sossegado, está atento.
  6. Se não para quieto como pode estar atento? (em vez de «se não está atento como pode parar quieto?»)
  7. Se está concentrado no que lhe interessa (ecrãs e jogos, por exemplo) não há verdadeiro problema de atenção.
  8. Se na mesma disciplina, e no mesmo período, pode obter notas altas e negativas: é porque não quer estudar.