A importância do quarto das crianças

O quarto das crianças não é um lugar qualquer e, por isso, independentemente de ser grande ou pequeno, deve ser muito bem pensado!

De facto, o quarto é o único local privado e íntimo, que diferencia e separa as crianças dos adultos. É o espaço privilegiado onde as crianças podem estar sós, onde aprendem a construir a sua autonomia e a desenvolver a sua vida interior.

Mais do que um espaço físico, o quarto tem o valor de um espaço emocional privilegiado, onde as crianças vivem o confronto com as suas frustrações, os seus medos e conflitos.

Como deve ser então, e o que deve ter, o quarto de uma criança?

Obviamente uma cama, onde a criança se possa deitar e dormir, mas também sonhar e fantasiar; um canto de estudo, com a secretária, os livros, enfim, tudo aquilo que a ligue ao investimento na escola e na aprendizagem; o canto da música, das fotografias dos amigos, e de tudo o que, afinal, a remeta para o seu universo social - cuja importância vai aumentando ao longo do crescimento; e, por fim, o quarto deve ter um canto de brinquedos.

No caso dos mais novos, este canto é praticamente obrigatório, pois brincar é essencial ou mesmo imprescindível a um desenvolvimento harmonioso. De facto, brincar não é passar o tempo sem função, fugir ao estudo, ou ser preguiçoso. Brincar é ter a capacidade de pegar em objetos (brinquedos) e usá-los de modo a construir um jogo. É ser capaz de recorrer ao simbolismo, à fantasia, à criatividade e é, por isso uma atividade organizadora do pensamento. Brincar é pôr em cena todo um mundo interior, elaborando e exprimindo conflitos e afetos que não são acessíveis pela palavra. Mas é também, no caso dos jogos, puzzles etc., uma forma de estimular aptidões e potenciar o desenvolvimento cognitivo.

Não se pense porém que tantos "cantos" exigem muito espaço. Cada um pode ser, se necessário, apenas uma prateleira, uma caixa, um tapete... Assim sendo, já não há motivo para não deitar mãos à obra! Bom trabalho!