Alimentação

Costuma insistir para que o seu filho coma tudo o que tem no prato? Obriga-o a comer quando ele diz que já não tem fome? Se o faz, pode estar a cometer um erro, pois o apetite da criança deve ser respeitado. Forçar o seu filho a comer mais do que lhe apetece pode conduzir a maus hábitos alimentares e...

Usar apenas alimentos naturais ainda intimida a maioria dos progenitores. Porém, além de serem muito fáceis de confecionar, são também estas refeições saudáveis as melhores que podemos dar aos nossos filhos.

Ser o exemplo é sempre o primeiro passo, mas existem outros três truques bastante eficazes. Educar uma criança desde cedo a ter uma alimentação saudável é meio caminho andado para prevenir posteriores excessos alimentares e até mesmo casos de fome emocional, em que a pessoa recorre à comida para lidar com determinados sentimentos e situações.

Antes de nos tornarmos pais era muito fácil fazer julgamentos sobre as formas de educar de outras famílias e apontar aquilo que nós faríamos de forma diferente. Limitar a televisão, não dormir na cama dos pais e, claro, a alimentação que daríamos aos nossos filhos.

É a Organização Mundial da Saúde que o diz: fruta e verduras são parte integrante de uma alimentação saudável e os miúdos não podem - nem devem - ter como escapar a esta regra de bem comer. Pais: se os vossos filhos são um castigo à mesa, façam assim.

Investigadores de várias universidades dos Estados Unidos concluíram que os bebés que comiam um ovo por dia a partir dos seis meses de idade e pelo menos até ao primeiro aniversário registavam concentrações elevadas de nutrientes que ajudam ao desenvolvimento e ao bom funcionamento de cérebro.